ESCRITORAS

Conheça quem compartilha conhecimento com você
  • Alessandra Abdalla

    Dentista, mãe do Gabriel desde 2013, amante da vida, uma das criadoras do Projeto Pitaya - redescoberta da sexualidade pós maternidade. O projeto nasceu do desejo de duas mães em facilitar o processo de redescoberta da sexualidade, do novo corpo, dos novos desejos, para outras mulheres mães. Luto pelo protagonismo da sexualidade da mulher. Hoje totalmente empenhada em quebrar tabus dentro e fora da minha casa.

  • Aline Maciel

    Mãe da Luana desde junho de 2016. Contadora de histórias, escritora, atriz e musicista. Mestre em literatura de língua inglesa pela UFSC. Já atuou em Rádio, Cinema, Teatro, Biblioteca, Música, Literatura e Cultura Popular, tanto na gestão e produção de projetos quanto na atuação artística. Publicou, em 2012, o livro sobre contação de histórias "Cada um conta de um jeito". Junto com seu companheiro, Sig Schaitel, formam a Cia Mafagafos que tem viajado o país com seus espetáculos, oficinas e publicações.

  • Ana Basaglia

    É mãe de 3 filhos incríveis (o Roberto, a Beatrice e a Gabriela), designer gráfico, ativista da amamentação, fundadora do grupo de apoio mais antigo de SP, fanzineira, especialista em Design Gráfico, mestranda em Design (sob a orientação da arte-educadora

  • Ana Castro

  • Ana Lucia Keunecke

    É advogada, ativista dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, mãe de Sofia, Marcos e Marina (essa vinda do coração). Diretora Executiva da ONG Mulher sem Violência. Membra do Colegiado da REHUNA - Rede pela Humanização do Parto e Nascimento. Militante de direitos humanos das mulheres, trabalhando em fiscalização do cumprimentos dos Tratados Internacionais assinados e ratificados pelo Brasil. Aqui, escreve sobre direitos das mulheres, direitos humanos, controle social e políticas públicas.

  • ANA PRESTES

    É Socióloga e Cientista Política. Militante e dirigente nacional do PCdoB. Mãe da Helena e da Gabriela. Aqui escreve sobre empoderamento feminino, dilemas da maternidade no século XXI, política nacional e internacional.

  • Ana Rossato

    É cientista social, comunista, feminista e mãe. Escreve sobre feminismo, gênero, família e política.

  • Andrea Dip

    Trabalha com jornalismo em direitos humanos há mais de dez anos. É repórter especial da Agência Pública de jornalismo investigativo e mãe solteira de um guri pré adolescente super parceiro. Aqui, escreve sobre como ensinar feminismo para as crianças, sobre a maternidade em momentos de conflito - como maternidade no cárcere, mães em situação de vulnerabilidade, mães em zona de guerra. E, também, sobre as aventuras de uma mãe solteira que dá conta de tudo ao mesmo tempo agora. Além de outros temas.

  • Andréa Werner

    Jornalista, escritora e mãe do Theo, de 8 anos. Começou o blog Lagarta Vira Pupa após Theo receber o diagnóstico de autismo, aos 2 anos de idade, com o objetivo de acolher, informar e empoderar outras mães. Lançou seu primeiro livro - Lagarta Vira Pupa, a vida e os aprendizados ao lado de um lindo garotinho autista - em 2016. Aqui, escreve sobre os desafios da maternidade atípica e da inclusão social das crianças com deficiências.

  • Andreia Mortensen

    É bióloga, mestre e doutora em Bioquímica, pós-doutora em Neurociências e Neurobiologia, Professora-pesquisadora na Drexel University College of Medicine na Filadélfia, EUA, mãe do Lucas e Isabella. Escreve aqui sobre criação não violenta de filhos e faz críticas sobre como a mídia divulga informações sobre o sono das crianças e sobre amamentação, baseadas sempre nas mais recentes evidências científicas e com o empoderamento que a maternidade lhe conferiu.

  • Angela Medeiros

    Sou mãe de 1 pré-adolescente e 2 crianças incríveis, meus 3 filhos dão vida à minha vida. Sempre gostei de estudar e, remando contra a maré, meus filhos sempre nasceram em períodos em que eu estava estudando. Abandonei 2 cursos superiores e finalmente me encontrei na Psicologia. Minha única filha, a mais nova nasceu no quarto ano do curso. Enfim, sou uma mãe que virou cientista. Hoje, sou psicóloga, os desafios são enormes, mas as vitórias são ainda mais intensas do que se viessem de forma fácil. Tenho muito a aprender e me uno a essa equipe de mães, pois exercer atividade intelectual ao som do choro, da alegria e dos sorrisos das crianças, nos dão outras perspectivas. Vamos crescer juntas!

  • Camila Goytacaz

    É jornalista, escritora e consultora de Comunicação. Praticante da Comunicação Não Violenta e de Yoga, compartilha sobre os aprendizados que vive com seus filhos Pedro Luis e Joana, e os aprendizados deixado por José, o filho da eternidade. Valoriza conversas autênticas e escreve aqui sobre alguns temas gostosos, como a prática da comunicação amorosa na família e outros absolutamente necessários, como luto perinatal. Sobre este tema é autora do livro Até Breve, José.

  • Camila Mendonça Netto Jobim

    Mãe da Isadora e em crescimento (construindo e desconstruindo-se) para criar e educar essa pessoinha para ser quem ela for em sua potencialidade. Bióloga, apaixonada pelo comportamento animal e sua interface com o comportamento humano. E disposta a colaborar com a sociedade que vivemos.

  • Carolina Pacheco

    É jornalista, blogueira, redatora, curiosa, aprendiz de fotógrafa. Mãe do Lucas e da Luiza. Escreve aqui sobre tentativas para engravidar, sobre empoderamento feminino através da maternidade, amamentação e alergia alimentar, questões de gênero para educar os filhos e outros assuntos.

  • Claudia Cristina Mussolini

    Mãe de 4 meninos, 2 biológicos, 2 do coração, Assistente Social, Gerontóloga, Mestre em Gerontologia Social, Diretora de Acolhimento da ONG Mulher Sem Violência.

  • Danielle Kioshima Romais

    Ser mãe do Kiyo (8 anos e meio) é sua qualificação mais importante e relevante. Formada em Ciências Biológicas pela Universidade Tuiuti do Paraná, com especialização em Educação Ambiental pela UFPR, mestre em Ciências Ambientais pela Florida Atlantic University (FAU- EUA), atualmente cursa o doutorado em Biogeografia também pela FAU. Após o nascimento do Kiyo, conheceu a criação com apego (attachment parenting), aprofundou seu conhecimento na educação domiciliar e passou a buscar meios alternativos de ensinar o Kiyo a conviver com o mundo. Aqui, escreve um pouco sobre sua experiência com a educação domiciliar, educação positiva, a amamentação prolongada, bullying, como é criar um cidadão do mundo e o empoderamento feminino.

  • Dany Santos

    Linguista e professora formada pela Universidade Federal Fluminense. Mãe de Caio (14) e Artur (4). Feminista e ativista do parto e da infância livre. Escreve no blog Quartinho da Dany desde 2008. É colunista do Huffpost Brasil. Escreve aqui sobre assuntos relacionados à infância e à maternidade.

  • Elisa

  • Elisa Batalha

    Jornalista, mãe da Leila, de 8 anos, tem mestrado em Relações Internacionais e atua como repórter na área de Comunicação e Saúde há seis anos. Apaixonada, praticante e instrutora de yoga, tem estado aberta a todas as transformações que a maternidade trouxe para a vida, como mulher, cidadã, profissional e amiga.

  • Ellen Paes

    É jornalista atuante na área de Saúde Pública desde 2009. Mãe da Valentina, que foi a pequena-grande divisora de águas entre o antes e depois do ativismo. Com a chegada dela, veio também a vontade urgente de fazer deste mundo um lugar mais justo pra se viver. Feminista negra, ativista pelos direitos da mulher, da mãe, da infância e dos direitos humanos. Escreve aqui sobre questões de gênero, raciais, de sexualidade, comportamento e tudo o mais que faz parte do universo materno.

  • Fernanda Alves

  • Fernanda Nunes

    Mãe do Bento e do Blog de uma Mulher que Corre (e rema) com os Lobos. Atleta olímpica de remo, fisioterapeuta e astróloga. Feminista com orgulho. Piadista nata. Aquariana lôca convicta com uma lua apaixonada em peixes. Acredita no amor universal e num mundo melhor. Aqui escreve sobre mulheres mães esportistas (yes, we can) e questões de gênero no esporte.

  • Fernanda Vicente

    É jornalista,trabalha com assessoria de imprensa voltada para mulheres, tem especialização em jornalismo cultural e é idealizadora e coordenadora do projeto Mães no Enem & Mães na Universidade - uma ação que teve início em 2016 e acontece em todo o país, com o objetivo de apoiar e auxiliar mães estudantes. Mãe apaixonada, ariana com ascendente em leão, também é feminista e militante.Escreve aqui um pouco sobre sua experiência com o projeto, o desafio das mães estudantes em permanecer nas universidades/escolas e a importância das mães ocuparem os espaços acadêmicos e corporativos.

  • HELOISA DE OLIVEIRA SALGADO

    É psicóloga, especialista em psicologia da infância, mestre e doutoranda em ciências (saúde materno-infantil), além de doula e consultora em amamentação. É mãe do Gabriel que tem quase 9 anos. Escreve aqui sobre assistência à gestação, parto e pós-parto, puerpério, violência obstétrica, saúde mental e luto na infância e na maternidade. Parte das seguintes referências: os direitos humanos, os direitos sexuais e reprodutivos, o feminismo e as evidências científicas.

  • Jaqueline Donadia

    É mãe do Antônio e percebeu na maternidade uma dimensão positivamente transformadora da própria vida e que se estende ao universo. É também Professora do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), mestre em Química e tem a cozinha orgânica como laboratório da família. Escreve aqui sobre alimentação, meio ambiente e ensino.

  • Julia Harger

    Julia Harger, designer e ativista do direito dos animais, vive na Austrália há sete anos onde teve sua filha Dominique que hoje tem dois anos. Trabalhando diariamente em prol da conscientização sobre a amamentação, ela leva o título de Educadora da Comunidade pela Associação Australiana de Amamentação, organização pela qual Julia ministra aulas sobre os benefícios do leite materno. Ela também escreve no blog “Vegana é sua mãe” onde divide um pouco sobre a criação de uma criança vegana, bem como outros assuntos relevantes ao veganismo e maternidade.

  • Karin Di Monteiro Moreira

    Bióloga pela UNESP, mestre, doutora e pós-doutora em Psicobiologia pela UNIFESP. Mãe de Leonardo há 23 anos e de Gabriel há 16, feminista, ativista, antiproibicionista, pela garantia dos direitos humanos. Como pós-doutoranda, estuda e pesquisa efeitos de drogas e do sono em processos de aprendizagem e memória, na UNIFESP e na UFABC. Atua em projetos voltados para divulgação e popularização da ciência e educação científica, como eventos e festivais para o público leigo e cursos para professoras e professores, alunas e alunos de instituições de ensino com acesso precário à pesquisa. Como Redutora de Danos no projeto ResPire, atua em festas e festivais promovendo acolhimento, cuidado, respeito e acesso à informação a usuárias e usuários de álcool e outras drogas.

  • Karoline Miranda

    Natural do Andaraí, zona norte do Rio de Janeiro. É professora e graduanda em História pela UERJ, por vocação. Foi surpreendida com a maternidade solo aos 19 anos e desde então, escreve com muito amor e realidade nua e crua sobre maternidade, empoderamento, feminismo e infância de seu filho Gael, de 3, no blog da qual é criadora e escritora, o Uma Mãe Feminista. Ainda é militante do Núcleo de Mulheres da História - UERJ, criado em 2014. Seu foco de estudo é numa maternidade feminista e empoderadora, mas real, para todas as mulheres - e não só as de classe média.

  • Lia Luz

    Divide seu tempo entre a criação das filhas Camila, 6 anos, e Amora, 1 ano, e as práticas de Ashtanga yoga. Formada em jornalismo, fez pós-doutorado no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, em Portugal, onde pesquisou a relação entre sexualidade e parto, e experiências de parentalidade e poliamor. Escreve aqui sobre emancipação social, empoderamento feminino e valorização de diferentes práticas sociais e formas de saber.

  • Lia Savaris

    É mãe do Henrique e do Miguel, educadora física, pós graduada em treinamento desportivo, coach de vida, carreira e felicidade autêntica e palestrante. Escreve aqui sobre atividade física e saúde pré, durante e pós parto, empreendedorismo e empoderamento materno, coaching e outros assuntos.

  • Lígia Birindelli Amenda

    É advogada e mãe do Daniel. Acredita que o papel de mãe não deve ser fim e destino de toda mulher. E pensar na mulher para além da mãe, não significa negligenciar o cuidado com as crianças. Para tanto, é preciso entender mulheres e crianças como integrantes da sociedade e não como cidadãos de segunda categoria. Defende, por isso, a autonomia tanto da mulher quanto da criança e a participação de toda a sociedade em atividades de cuidado. Acredita numa sociedade menos sexista e menos adultista. E é justamente sobre isso que escreve aqui.

  • Ligia Moreiras Sena

    Mãe da Clara, doutora em Saúde Coletiva, doutora em Ciências, mestre em Ciências, bióloga, escritora, ativista, feminista. Mudou toda sua vida depois do nascimento da filha por um único motivo: quer ajudar a diminuir iniquidades que as mulheres passam a viver apenas por se tornarem mães e a lutar por uma infância livre de violência. Criadora do site CIENTISTA QUE VIROU MÃE. Apaixonada pelo que a maternidade pode trazer às mulheres em termos de empoderamento, emancipação e busca por autonomia. Escreve aqui sobre tudo isso: infância, feminismo, educação sem violência, empoderamento materno, direitos reprodutivos e o combate à violência contra a mulher e à criança. Autora dos livros "Educar sem violência - Criando filhos sem palmadas", "Mulheres Que Viram Mães" (ambos pela Editora Papirus), entre outros publicados pela Plataforma CQVM.

  • Liziane Oliveira

    Graduada em Odontologia pela Universidade Federal de Pelotas e pós-graduada em Odontopediatria pela Universidade Federal de Santa Catarina, fazendo atualmente curso de Antroposofia. Não escolhi me especializar em Odontopediatria, ela me escolheu, e depois fiz a mais ativa "atualização" na área quando me tornei mãe do Caetano. Aqui, pretendo mostrar a saúde bucal de uma forma mais holística e integrada não só com com o físico, a alimentação e a higiene, mas com as relações interpessoais e como materialização de vários outros hábitos e movimentos que inocentemente influenciam na imunidade e risco do desenvolvimento de doenças da boca.

  • Luana Mendonça

  • Marcia Casarin Strapazzon

    Mãe da Ingrid (2) e do Igor (6). Adoro fazer contas, sou feminista e aprendiz de investidora. Bióloga de formação, mestre em Desenvolvimento Regional e Analista Ambiental do ICMBio. Gosto da integração da fisica quântica e espiritualidade e acredito que aqui estamos para juntas/os evoluir, individualmente e coletivamente. A maternidade foi a grande porta para esse caminho de busca do autoconhecimento e constante evolução. Escrevo aqui sobre finanças e maternidade, empoderamento feminino e questões ambientais.

  • Maria Santana

    É mãe de Anita (3 anos), 27 anos, Antropóloga, mestranda na Universidade Federal da Bahia. Pesquisa práticas e narrativas de parto e identidade em comunidades quilombolas do recôncavo baiano, atenta a questões relativas à vida das mulheres, corpo, saúde, identidade, política, processos de medicalização do parto, parteiras e conhecimentos tradicionais. É feminista, anticapitalista, militante do amor, das diversidades e das liberdades. Aqui, escreve sobre feminismos, práticas de parto, direitos sexuais e reprodutivos, humanização do parto, combate a violência obstétrica e toda forma de violência contra as mulheres.

  • Mariana Sá

    É mãe de Alice e Arthur, soteropolitana, publicitária e mestra em Políticas Públicas. É fundadora do Movimento Infância Livre de Consumismo e membro da Rede Brasileira Infância e Consumo. Além de fazer regulação de publicidade em casa desde que a mais velha nasceu, acredita que um país sério deve priorizar a infância, o que – entre outras coisas – significa disciplinar o mercado em relação aos direitos das crianças. Escreve aqui sobre mídia, consumismo e políticas públicas.

  • Michelle Prazeres

    É jornalista, mestre em semiótica e doutora em educação. É mãe do Miguel (5 anos) e do Francisco (nascido em maio de 2016). Escreve aqui sobre maternidade ativa, parto humanizado, violência obstétrica, vida com filhos, trabalho e empreendedorismo, direitos humanos, feminismo, educação e comunicação, mídia e jornalismo.

  • Mulher Mãe Anônima

    Há assuntos extremamente necessários de serem debatidos e que, no entanto, em função de vivermos em uma sociedade patriarcal e machista, nos colocam em ainda maior vulnerabilidade enquanto mulheres e mães. Por isso, nós da plataforma Cientista Que Virou Mãe, abrimos espaço a temas que sejam escritos mesmo que as mulheres escritoras queiram permanecer anônimas. A autoria de textos anônimos é conhecida somente pela coordenadora geral da plataforma, Ligia Moreiras Sena, que garante a idoneidade e credibilidade das escritoras anônimas. São mulheres, são mães e sabem do que estão tratando. Apoie os textos dessas mulheres para que um dia, enfim, esses textos possam ser debatidos sem colocar suas autoras em vulnerabilidade.

  • Nanda Café

    É jornalista, blogueira, feminista e de humanas. É mãe do Benjamin e foi ele quem a colocou nesse mundo louco de falar sobre empoderamento infantil, educação, sociologia da maternidade e outras coisas que devem ser levadas a sério, mas ela não consegue fazer isso muito bem. E é justamente sobre tudo isso que escreve aqui.

  • Nani Feuser

    Mãe da Lelê. Formada Engenheira Agrônoma pela Universidade Federal de Santa Catarina. Cursou Mestrado na mesma instituição em Recursos Genéticos Vegetais. Atualmente empreende no ramo de alimentos e ocupa o cargo de CFO na Plataforma de Produção de Conteúdo Cientista que Virou Mãe.

  • Natalie Catuogno Consani

    Natalie Catuogno Consani é mãe do Enzo, jornalista, pesquisadora da infância e documentarista. É ativista da infância, feminista e editora de livros e conteúdo editorial sobre e para a infância, a maternidade e as artes. Integra um coletivo de artistas que propõe contextos de experimentação e brincadeiras para crianças e segue inventando meios de compartilhar o que aprende, especialmente o que aprende com as crianças, incríveis!

  • Patrícia Cordeiro

    É jornalista, social media, doula e ativista em direitos e saúde da mulher. Mãe de Guilherme e de Bernardo. O primeiro - um lindo menino nascido com fissura lábio palatina - veio ao mundo por uma cirurgia desnecessária que a levou a entrar no mundo da humanização do parto e nascimento, e desencadeou todo o processo de empoderamento e luta pelos direitos de informação e escolha consciente da mulher. O segundo nascido por um desejado VBAC, no sistema obstétrico sueco, experiência que pretende dividir para gerar reflexão acerca da importância da boa assistência no pré, durante e pós parto. Escreve aqui sobre criação de crianças com necessidades especiais e seus impactos na vida materna e familiar, sobre o empoderamento feminino como ferramenta de combate à violência obstétrica e de gênero e outros assuntos.

  • Priscila Cavalcanti

    É advogada, atuando apenas para e por mulheres. Mestre em Ciências pela Faculdade de Saúde Pública da USP e é mãe do Henrique e do Fernando. Escreve aqui principalmente sobre direitos das mulheres, nos âmbitos da Saúde e do Direito de Família.

  • Raquel Marques

    É mãe do Gabriel e do Bruno, sanitarista, mestre em Saúde Pública e doutoranda em Medicina Preventiva. Escrevo sobre as dores e as delícias de ver dois pequenos humanos crescerem neste mundo, mas às vezes também falo sobre participação política, saúde coletiva e outros assuntos.

  • Renata Penna

    fotógrafa de parto humanizado em São Paulo, trabalha há dez anos com produção de conteúdo materno, é mãe da Ana Luz, da Estrela e da Chiara, três meninas porretas, pequenas feministas 'in progress'. escreve sobre maternidade e feminismo, causos da caminhada de mãe de três em um mundo virado do avesso, educação não violenta, afetiva, democrática e libertária.

  • Roberta Calábria

    É mãe do Miguel e do Vicente, doula e militante pela humanização do nascimento e dos direitos reprodutivos das mulheres. Mãe solo e mulher provedora em busca de emancipação e educação e vida ativa.

  • Sarah Helena

    Sarah Helena é mãe do André, arte educadora e produtora cultural, fazedora de coisas, inventadora de ideias, escritora, artista visual, feminista interseccional e nerd de humanas. Desde que André surgiu na jogada, começou a enxergar o território do nascer e da infância com um olhar que estava além daquele da sala de aula e da normose que nos invade pelas janelas.

  • Simone Lolatto

    É mãe da Helena, assistente social, doutora em Ciências Humanas. É militante feminista, integrante da União Brasileira de Mulheres (UBM) desde 1997 e pesquisadora do Núcleo de Estudos em Serviço Social e Relações de Gênero (NUSSERGE-UFSC). A militância feminista se funde aos estudos acadêmicos ao longo desses anos em três grandes temáticas: a violência doméstica contra mulheres, o direito à interrupção voluntária da gestação e a participação política das mulheres nas disputas eleitorais. Escreve aqui sobre feminismo, especialmente sobre as conquistas das mulheres e discriminações que persistem, violência doméstica contra mulheres, direito à interrupção voluntária da gestação e ausência de democracia de gênero nos espaços da política institucional.

  • Suzy dos Santos

    É mãe da Bebela e do Pedro Luna, escreve - quando dá - o blog Bicho Papinha, é professora da Escola e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFRJ, coordenadora do Grupo de Pesquisa PEIC- Políticas e Economia da Informação e da Comunicação. Escreve aqui principalmente sobre mídia, comida e crianças.

  • Tatiana Miranda

    Mãe solteira, autora do blog "Mãe no Divã" e estudante de Direito. Renasci na maternidade e agora me encontro no minimalismo.

  • Thaís Antonio

    É jornalista "tardia". Descobriu que queria enveredar pelo mundo das palavras depois de já ter passado por outra graduação. Apaixonou-se por Comunicação e por pautas que podem fazer alguma diferença na vida das pessoas. É mãe de Teresa, que nasceu em setembro de 2016. São delas as melhores palavras de Thaís, que só escrevia sobre os desafios da maternidade para os amigos.

  • Thaiz Leão (Mãe Solo)

    Thaiz Leão, 27, mulher, mãe, feminista e ativista. É Designer e ilustradora, as duas coisas necessariamente se confundem. Desde 2014, ano em que seu filho nasceu, desenha e disserta de maneira franca e não romantizada sobre a treta que é ser (ou não ser) mulher e mãe em tempos de babycenter e yahoo answers para o seu projeto Mãe Solo. Também é autora do livro Chora Lombar – Maternidade na Real, financiado coletivamente em 2016.

  • Valéria Mendes

    É jornalista do portal Saúde Plena e Jornal Estado de Minas. Mãe do Caetano, 4 anos, especializou-se em reportagens de saúde e comportamento. Escreve aqui sobre maternidade, infância, saúde da mulher, sexualidade e questões de gênero.

  • Virginia Vianna

    Mulher, Mãe, Doula, Feminista em construção. Graduanda em psicologia e Terapeuta Perinatal. Coordeno grupos de apoio à maternidade e protagonismo feminino da gestação ao puerpério. Participo de grupos de estudos sobre sexualidade e gênero. Membra da diretoria da ADOSC (Associação de Doulas de Santa Catarina). Encontrei a maternidade aos dezesseis anos, depois aos vinte e um e aos vinte e cinco, e reaprendo a ser mãe todos os dias. Desde 2014, quando me tornei doula, vivo intenso processo de cura e resgate com meu corpo e minha história. Ativista pelos direitos sexuais e reprodutivos de mulheres e pessoas com útero. Sou curiosa, intensa, criativa, sou transbordante e habitante do planeta amor!!!

Plataforma CQVM© - 2011-2018